trigo-de-ouro

Todos devem conhecer seu próprio contexto para evitar o desenvolvimento de expectativas excessivas ao fixar suas metas de multiplicação. Por outro lado, é importante NÃO estabelecer prazos frouxos demais.

Independentemente do tempo em cada contexto, a grande pergunta continua sendo: “O que fazer com aquelas células que não se multiplicam?” Alguns acham que se deve fechá-las. A melhor posição é que não se deve descartar nenhum líder e não se deve fechar nenhuma célula. Se a multiplicação não está ocorrendo, é porque alguma coisa anda mal.

Pode ser que o problema seja com o líder, pode ser que seja a dinâmica interna da célula. Mas essas coisas são remediáveis. É tarefa dos supervisores examinar e identificar as deficiências. Logo, devem esforçar-se por suprir os elementos que fazem falta. Jesus nunca descartou ninguém por falta de competência, ele os ajudou a serem competentes.

No trabalho celular, nada deve ser descartado. Não se trata de desfazer-se de elos fracos, mas de convertê-los em elos fortes. Não devemos subtrair forças e sim somá-las. Todos cabem no Reino de Deus e Jesus não deixa ninguém de fora.

Situações como o pecado podem conduzir ao afastamento de um líder para um tempo de restauração. Porém, mesmo assim, é tempo de restauração. É um período de ajuda para logo seguir adiante com novas forças.

Advertisements